Comissão de Obras, Serviços Públicos e Meio Ambiente pede vista ao projeto de lei que proíbe utilização de logomarcas pelo poder público

por Marilva Keesen Greco última modificação 29/11/2017 07h33
Nesta segunda-feira, 20 de novembro, a Câmara Municipal de Pará de Minas realizou mais uma sessão ordinária e contou com a presença dos alunos do 2º ano do ensino médio, da Escola Estadual Zico Ferreira, do distrito de Torneiros, que estavam acompanhados pela vice-diretora Terezinha Henriques de Almeida Fonseca e da professora de sociologia Adriana Silva.

 De acordo com Terezinha, a visita faz parte de um trabalho desenvolvido em sala de aula, que aborda as funções do Poder Legislativo no município. O presidente da Casa, Mário Justino da Silva abriu a reunião, agradecendo a presença da escola e colocou em pauta para discussão o Projeto de Lei nº 176/2017, de autoria do vereador Rodrigo de Torneiros, que proíbe a criação e utilização de logomarcas pelos poderes executivo e legislativo do município de Pará de Minas. Essa matéria teve pedido de vista, na semana passada, pelo vereador Márcio do São Cristóvão e nesta reunião, teve novo pedido de vista pela Comissão de Obras, Serviços Públicos e Meio Ambiente. Durante a reunião, os parlamentares aprovaram ainda cinco moções de aplausos e vinte nove requerimentos.

 

Críticas ao Conselho Municipal de Trânsito, aquisição de castramóvel, pedidos de esclarecimentos sobre a intervenção do HNSC, questionamentos sobre licitação de reagentes para laboratório da UPA e início da construção do complexo educacional de torneiros foram assuntos abordados no uso da tribuna

A reunião prosseguiu com o uso da tribuna por alguns parlamentares, entre eles o vereador Rodrigo Varela para falar sobre a situação do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito. “Estou decepcionado com a atuação do Conselho Municipal de Trânsito, pois participei de duas reuniões até agora e aguardo ser chamado para terceira do ano e nem fui convocado. Apesar do conselho ser composto por pessoas capacitadas, parece que não está funcionando. Minha crítica à administração é que faça o conselho funcionar e atender as demandas da população que chegam até nós vereadores”.

O vereador Daniel Melo falou sobre a aquisição de um castramóvel de cães e gatos que será montado em Pará de Minas para atender o município e região. “Tenho uma ótima notícia para a população, pois entre abril e maio de 2018, consegui com o Conselho Municipal de Saúde, que seja instalado o castramóvel fixo para Pará de Minas. Sem ajuda de nenhum deputado, simplesmente com o apoio do meu abrigo, da Associação “Patinhas de Anjo”, em parceria com a prefeitura, por meio da Vigilância Sanitária. Esse importante equipamento será doado pelo Ministério da Saúde. O funcionamento será da seguinte forma: os agentes de combate à dengue, que já receberam treinamento adequado, acrescentarão em seus formulários, o número de cães e gatos que cada residência possui, atualizando o cadastramento dessa população, que está em torno de 45 a 50 mil animais, em Pará de Minas. Todos os outro procedimentos serão feitos Ministério da Saúde, gratuitamente, apenas o microchip que será implantado no animal terá um custo de R$10,00. Esse serviço está previsto em lei estadual e como vereador estou fazendo funcionar dentro município de Pará de Minas. A castração e o microchip são importantes instrumentos no controle de zoonoses, além de ajudar na aplicação da lei de maus-tratos contra aos animais”.

O vereador Rodrigue de Torneiros falou sobre a construção do complexo educacional e reforma de praça no distrito. “Estou preocupado com a construção do complexo educacional que contempla uma creche, uma quadra poliesportiva coberta e uma quadra sintética. Há quase dois meses encaminhei ao prefeito, um requerimento em conjunto com o vereador Niltinho, solicitando informações sobre o início da tão sonhada obra, que se tornou uma novela para Torneiros. O prefeito vendeu esse sonho pra população e agora tem que cumprir. Até o momento não recebemos nenhuma resposta com a previsão e espero manifestação urgente do prefeito, pois a população não merece ficar sem reposta. Outra reivindicação é sobre a praça onde acontece a reza do terço dos homens. Fiz uma solicitação ao prefeito, para que doasse os bloquetes e a comunidade doaria a mão de obra, para reformamos o local que está bastante destruído, mas infelizmente até o momento não tive resposta também. Deixo aqui minha cobrança e indignação com a administração púbica, em nome da comunidade”.

O vereador Niltinho do São Cristóvão comentou a reunião que teve com o secretário municipal de Saúde sobre a intervenção do Hospital Nossa Senhora da Conceição. “Questionei o secretário Paulo Duarte a respeito dos atendimentos de convênio e várias outras dúvidas. Ele disse que dentro de quinze dias estará no plenário da Câmara para esclarecer todos os questionamentos aos vereadores e também à população. Vamos aguardar esse encontro, pois a população merece todos os esclarecimentos”.

O vereador Dilé fez críticas ao Executivo sobre a intervenção do HNSC. “Na reunião que tivemos com o prefeito, no dia que ele anunciou a intervenção até parabenizei ele pela iniciativa, mas diante dos acontecimentos fico preocupado porque ele deveria nomear pessoas que entendem de administração hospitalar, mas ao invés disso saiu da prefeitura e montou seu gabinete dentro do hospital. É uma situação no mínimo estranha, pois deixou a prefeitura sozinha e quem vai tomar conta do município? Ele não consegue administrar o hospital que estava tão mal administrado como ele mesmo disse, e, também administrar o município. Espero que o prefeito contrate uma empresa competente para administrar o hospital e descubra qual é o problema da instituição e revela pra nós vereadores para que possamos ajudar a resolver essa questão da saúde e oferecer qualidade de vida à nossa população”.

O vereador Márcio do São Cristóvão fez reivindicações à administração pública. “Solicito que a prefeitura faça a troca de lâmpadas queimadas no nosso município, pois em vários locais a falta de iluminação tem causado risco à população. Outro pedido que faço ao Executivo é para que gaste com mais responsabilidade o recurso público. Com as chuvas dos últimos dias, o posto de saúde do bairro São Cristóvão ficou sem atendimento devido problemas de infiltração e inundação. A reforma dessa unidade demorou três anos e precisa ser feita novamente, porque não resistiu a chuva. É necessário acabar com descaso e o desperdício com o dinheiro público.

O vereador Marcão manifestou preocupação sobre a resposta de requerimento em que ele questiona a licitação para aquisição de reagentes para o laboratório da UPA. “O secretário Paulo Duarte respondeu meu requerimento dizendo que a licitação foi revogada com fundamento na administração pública e que os reagentes contratados são suficientes para realização de exames durante o ano. Então por que fazer uma licitação de R$800 mil se o quantitativo é suficiente? Se a aquisição está pronta e tem o que ofertar à população? Eu disse em abril que a quantidade era suficiente até setembro e bastava um aditivo no contrato e que foi feito pela mesma quantidade por R$189 mil. Agora vem a resposta que o produto em estoque é suficiente? Então qual a necessidade de abrir um processo licitatório? Simplesmente pra comprar? E pra que, se o tem é suficiente? A função do vereador é fiscalizar e cobrar para que a população seja bem atendida em todas as demandas. A próxima reunião ordinária será no dia 27 de novembro, às 18 horas, no plenário da Câmara. Participe!

Veja mais fotos aqui.

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Pará de Minas

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.