Aprovado projeto de resolução para afixação do retrato de Chiquinho do Gás na Galeria de Benfeitores

por Marilva Keesen Greco última modificação 11/05/2018 13h53
A Câmara Municipal de Pará de Minas realizou mais uma sessão ordinária, na noite desta segunda-feira, 7 de maio. O presidente Marcus Vinícius colocou em pauta para votação o projeto para afixar o retrato do ex-presidente Francisco Júnior (Chiquinho do Gás), na Galeria de Benfeitores de Pará de Minas.

O Projeto de Resolução nº 02/2018 foi proposto pelos vereadores Carlinhos do Queijo e Ênio Talma e autoriza a Câmara a afixar o retrato de Chiquinho do Gás, na Galeria de Benfeitores. A foto do ex-vereador também está afixada na Galeria de Ex-Presidente do Legislativo. De acordo com os autores esta é mais uma homenagem que a Casa presta a um dos grande políticos que Pará de Minas já teve. A matéria foi aprovada em primeira e segunda votação por 15X00.

A sessão prosseguiu com o uso da tribuna pelos vereadores entre os assuntos discutidos estavam as denúncias contra o prefeito Elias Diniz. As declarações do prefeito na mídia sobre o arquivamento das denúncias apresentadas pelo vereador Dilé contra ele, não agradou alguns parlamentares, entre eles o autor. "O que tem me impressionado são as declarações do prefeito na mídia, levando um monte de papéis e citando valores. Nenhum valor foi citado nos autos. A empresa contratada para ministrar o treinamento dos servidores da saúde responde processo no município de Rondonópolis-MT. Outro ponto é que o Ministério do Trabalho não tem nada a ver com a lei que obriga os lotações a terem motoristas e trocadores nas linhas. Em relação à contratação das OSCIP’s, o questionamento não é a contratação, mas sim em relação a divulgação antecipada de artistas para a festa no Parque de Exposições Francisco Olivé Diniz e em outro evento. O prefeito tem falado que este vereador está atrasado, mas ele citado tanto na gestão passada e ele que está vivendo um retrocesso, pois as denúncias são contra a administração dele e não da gestão passada. O prefeito também questiona a falta de oportunidade para falar, mas o momento adequado não erá aquele. No decreto 201/67 não prevê a defesa no momento da votação para acatamento das denúncias. Não houve conduta errada, por isso não vejo motivo para retratação porque o meu papel como vereador é fiscalizar e cobrar com bases em provas e foi isso que aconteceu", disse o vereador Dilé.

O vereador Ênio Talma também discordou do argumento usado na semana passada, por alguns colegas, alegando que o decreto que ditou o rito do processo de votação para aceitação ou não das denúncias estava ultrapassado e era da época da Ditadura Militar. "Eu discordo desse tipo de argumentação porque é o decreto que está vigente. não houve revogação dele por outro mais atual, então é por ele que o processo deve ser seguido. Foi a votação mais correta que já acontecer aqui nesta Casa. O presidente fez o que tinha que ser feito e o Dilé também agiu corretamente e a decisão de arquivamento das denúncias foi correta".

Marcus Vinícius, presidente da Casa, comentou a respeito das denúncias contra o prefeito Elias Diniz. "Nenhuma das respostas que o prefeito deu está relacionada às denúncias que o vereador Dilé fez. O que o prefeito tentou tirar o foco de algumas situações e jogar responsabilidade em gestão passada e em alguns vereadores e as respostas para esclarecer a população não vieram", comentou.

A próxima reunião da Câmara Municipal acontecerá na segunda-feira, 14 de maio, a partir das 18 horas, horário regimental. Nesta data haverá entrega de moções de aplausos. Toda a população é convidada para acompanhar os trabalhos dos vereadores pará-minenses.

Veja mais fotos aqui.

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Pará de Minas